terça-feira , 21 setembro 2021
Capa » Artigos Técnicos » O que os olhos não veem nosso organismo sente: os benefícios do sistema UVC

O que os olhos não veem nosso organismo sente: os benefícios do sistema UVC

Por José Carlos Giordano e Bruno Quirino*

Diz uma frase poética: “O essencial é invisível aos olhos”. Quem atua com ambientes sensíveis conhece o rastreamento de contaminações, a pesquisa de cepas resistentes, a estratégia de rotação de princípios ativos na limpeza e a responsabilidade de ter  uma planta isenta de riscos de microrganismos nocivos.

Recurso muito empregado para prevenir a proliferação de patógenos em áreas alimentícias / fármacos / cosméticos é o uso de radiação ultravioleta.

Outro recurso é o ambiente especial, o projeto técnico do espaço controlado, classe ISO. Faz a conjunção para efetivar produtos especiais.

Iniciamos pela esterilização por energia ultravioleta que é um dos sistemas mais seguros e eficientes que existem hoje para eliminar microrganismos prejudiciais à saúde presentes na água ou no ar ambiente até de nossas casas.

É tão eficiente que há mais de 50 anos é utilizado nos EUA e na Europa, num princípio letal para as bactérias: o uso de energia ultravioleta de baixo comprimento de onda, chamado UVC, em que a Ultralight dispõe de equipamentos..

Os raios UVC, que têm alto poder germicida, causam uma reação fotoelétrica, o que provoca a desnaturação da proteína da membrana citoplasmática das células dos microrganismos.

Os equipamentos esterilizadores dispõe de uma câmara, onde os microrganismos e até vírus são eliminados de forma instantânea, na passagem da água, fluidos ou  ar. As lâmpadas internas de cristal são potentes e específicas.

O histórico do sistema remonta a 1836 onde as prioridades germicidas do UV foram descobertas na Inglaterra. Em 1901 o primeiro sistema UV foi instalado em Marseille (França). Após 2 gerações de aperfeiçoamentos, em 1955 a desinfecção por UV começa a ser aplicada na Europa em larga escala e em seguida, nos EUA. Com os requisitos validação HACCP, é ferramenta indispensável em áreas sensíveis. Hoje, as maiores aplicações são em: indústrias farmacêuticas, cosméticos, bebidas, alimentos, hospitais, odontologia, hotéis, clínicas, água engarrafada, cervejarias, salas limpas, proteção Covid, etc.

Existem quatro principais faixas de comprimento de onda:

  • UV-A de 320 a 400 mm, em câmaras de bronzeamento.
  • UV-B de 280 a 320 mm, que causam queimaduras solares.
  • UV-C de 220 a 280 mm, para esterilização.

As entidades mais envolvidas com a normatização referente ao uso de UV estão nos respectivos países:

Alemanha

  • The German Association of Manufactures of Equipament for Water Treatment  ( FIGAWA )
  • The Deutsches Verein von Gas and Wasserfachumännem ( DVGW )

Estados Unidos:

  • The National Sanitation Foundation ( NSF);
  • American National Standards Institute ( ANSI);
  • S. Environmental Protection Agency ( EPA);
  • Americam Water Works Association ( AWWA);
  • The National Institute for Ocupational Safety and Health ( NIOSH)

No Brasil ainda não foi criada uma norma específica, pois a normatização é direcionada para as aplicações, caso a caso.

A figura abaixo descreve o conceito:

Benefícios

São muitos os benefícios do sistema UVC. Ë extremamente eficiente, pois os aparelhos são projetados e construídos de acordo com as normas de entidades de inquestionável reputação internacional. Outro benefício importante: não altera características físicas – químicas da água ou do ar. Seu consumo é mínimo, cerca de 20 watts, dependendo do equipamento.

Os esterilizadores para ar ambiente, lojas, escolas, veículos, hotéis, áreas comuns,  são extremamente úteis nesse momento de pandemia, pois atuam na efetiva esterilização ambiental, como os aparelhos Sterilight..

São aparelhos de última geração tecnológica e essenciais para a biossegurança. Sua estrutura tem manutenção simplificada. Utilizados em áreas de circulação de ar nos ambientes, proporcionam a desinfecção eficiente de forma a reduzir os problemas de contaminação do local e os mais importantes microrganismos nocivos à saúde. Atuam na esterilização de superfícies e não só na desinfecção:

Esterilização: Total eliminação de patógenos abaixo de um nível de medição especificado; Redução de contaminantes igual ou superior a 8 logs, 10-8  ou  99,999999 %.

Desinfecção: Redução na concentração de patógenos para níveis não infecciosos. A desinfecção atinge vários níveis de redução.

1 log … 10-1 ….. 90%

2 log … 10-2 ….. 99%

3 log … 10-3 ….. 99,9%

4 log … 10-4 ….. 99,99%

5 log … 10-5 ….. 99,999%

Os vitais aspectos de desenho sanitário aliados ao UV

Num projeto de instalação, o desenho industrial requer portas e inter travamentos, pass-throughs, visores, iluminação técnica, montagens específicas, detalhes das utilidades elétricas / fluídas / gases / efluentes / esgotos, vácuo, frio, vapor, aspiração de pós, filtragens, para assegurar a correta aplicação de GMP junto a demais ferramentas da Qualidade Higiênica, microbiologia e/ou engenharia sanitária.

O projeto conceitual sai das pranchetas de design e evolui num gerenciamento e comissionamento para dar viabilidade a composição do budget factível.

A Quality Assurance dos fornecedores é essencial bem como diligências na fabricação nos diversos estágios da obra e testes iniciais. Os testes finais levam a validação do sistema, e revisões periódicas.

Cada etapa necessita ter rastreabilidade documentada.

Trabalho que requer equipe técnica capacitada especialista em acabamento metálico e/ou eletrolítico, impermeabilizações, intervenções de alvenaria, pinturas e pisos vinílicas e/ou epóxi, coberturas, diferenciais de pressão, dutos, dampers, medições adiabáticas, layout caso a caso.

A arquitetura executiva da obra exige também minucioso fluxo industrial, avaliação de fluxos de MP – pessoas – materiais – insumos – ergonomias – cronoanálises – mecatrônicas – rejeitos – resíduos – reprocessos – protocolos.

A validação do plano geral inclui os acabamentos de divisórias, biombos, bancadas, painéis, nichos, shafts de linhas das várias utilidades. Estudo HVAC implica planificar linhas de ar, galerias, são planilhas de engenharia.

O treinamento de operadores ao final inclui cartilhas técnicas desenvolvidas ‘taylor made’ de forma a capacitar e validar os vários protocolos.

Pode parecer complicado, mas é tarefa simples para quem conhece e tem expertise, agregando um time de especialistas, cada qual na sua expertise.

Conhecimento é inexorável ponte hoje para atender mercado que audita e gera demanda de planos de ação nas mais diversas facetas. Ambientes técnicos são imprescindíveis na formulação de produtos diferenciais para um público exigente. Dominar essa vertente em demanda no Brasil é alavanca de dominar bons negócios, com Segurança dos Processos.

Pense nisso.

Referências

www.bioclean.eng.br

www.ultralight.com.br

www.sterilight.com.br

www.sibrapeuvc.com.br

* Prof. José Carlos Giordano e Quim. Bruno Quirino – JCG Assessoria em Higiene e Qualidade
www.jcgassessoria.com.br

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*