quarta-feira , 27 maio 2020
Capa » HVAC-R » Uso do ar condicionado como aliado no combate ao covid-19: recomendações da Abrava

Uso do ar condicionado como aliado no combate ao covid-19: recomendações da Abrava

Ambientes climatizados por sistemas mecânicos de ar condicionado oferecem melhor qualidade do ar interior aos usuários.

ABRAVA destaca medidas preventivas que contribuem para a ocupação segura de um ambiente climatizado, garantindo a qualidade do ar adequada em favor da saúde das pessoas.

Sistema de Ar Condicionado

– Ajustar a renovação do ar externo em maior vazão possível, com atenção para áreas altamente poluídas.

– Quanto maior a ventilação do ambiente interno, menor o risco de transmissão de patógenos.

– Caso não exista dispositivo de renovação de ar interna instalado, é necessário providenciar sua adequação.

– Se não for possível instalar dispositivo ou sistema para a renovação de ar, manter o(s) equipamento(s) de ar condicionado em modo ventilação, e abrir portas e janelas para garantir uma ventilação natural.

– Se não houver portas e janelas no local para ventilação natural, o local poderá ter um ambiente sem adequada renovação, não sendo recomendado a permanência de pessoas no local.

– Manter atualizado o Plano de Manutenção, Operação e Controle – PMOC do Ar Condicionado. – Manter todo o sistema de climatização limpo e higienizado, incluindo bandejas, sifões, serpentinas, ventiladores e dutos de distribuição de ar.

– Limpar e verificar periodicamente o estado dos filtros de ar, e trocá-lo antes do término de sua vida útil, conforme determinado pelo fabricante.

– Manter atualizada as análises da qualidade do ar interno, no mínimo semestralmente, e fazer as correções dos desvios identificados nos laudos, conforme Resolução 09 da ANVISA. Avaliar a possibilidade de monitorar constantemente a qualidade do ar, com especial atenção ao nível de material particulado em suspensão no ar interno ambiente, renovação do ar interno e umidade relativa do ar.

– Manter os sistemas em operação por mais horas, se possível 24 horas por dia, 7 dias por semana, para aprimorar a qualidade do ar interno.

Desinfecção de ambientes:

– Sempre que possível utilizar “filtros absolutos” (HEPA) associados a tecnologias ativas como a ionização e foto-catálise.

– Quanto ao sistema de dutos e ambientes maiores, recomenda-se a desinfecção com ozônio em ambientes desocupados (sem pessoas) e células foto-catalíticas nos dutos.

– Nos equipamentos, considere o uso de UVGI (irradiação germicida ultravioleta), na serpentina e na bandeja de água condensada do equipamento de ar-condicionado para evitar a criação de bio-filme (fungos).

– Manter programa de tratamento químico preventivo na água de condensação dos sistemas de ar condicionado centrais visando evitar danos por corrosão e controles de microrganismos, incluindo a bactéria Legionella.

 Informações adicionais aos profissionais da área: Uso de EPI’s.

– Os profissionais que prestam serviço de manutenção nos equipamentos e sistemas de ar condicionado devem utilizar EPI’S adequados: máscaras, óculos e luvas de borracha;

– Descartar os filtros de forma apropriada, utilizando sacos plásticos;

– Manter o asseio e limpeza dos ambientes das salas de máquinas, restringir o acesso de pessoas, bem como não armazenar objetos nas salas de máquinas;

– Não retirar os filtros do ar condicionado da embalagem antes de sua efetiva aplicação

Material elaborado por: Marcelo Munhoz, presidente do Departamento Nacional de Qualidade do Ar Interior (ABRAVA)

Charles Domingues, presidente do Departamento Nacional de Tratamento de Águas (ABRAVA)

ABRAVA é a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento, membro do

CNCR – Conselho Nacional de Climatização e Refrigeração

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*