quinta-feira , 2 dezembro 2021
Capa » Fragrâncias » Takasago Brasil reforma prédio de fragrâncias para estimular a criatividade
Takasago Brasil reforma prédio de fragrâncias para estimular a criatividade
Novo ambiente estimula a interação entre funcionários (Foto: Divulgação)

Takasago Brasil reforma prédio de fragrâncias para estimular a criatividade

Conceito ‘Open Space’ se tornou tendência em tempos de retorno após paralisação dos escritórios durante a pandemia

Outubro de 2021 – A fim de proporcionar um ambiente moderno e aconchegante, a Takasago Brasil reformou o prédio de fragrâncias, em Vinhedo, interior de São Paulo, para se tornar um conceito “Open Space”, com o intuito de estimular a criatividade e a interação entre os colaboradores.

A revitalização faz parte do plano de investimento e remodelação iniciado com a modernização do laboratório, em 2020, pela multinacional japonesa, uma das cinco maiores empresas de aromas e fragrâncias do mundo, com operação em 27 países, incluindo o Brasil. Com a pandemia da Covid-19, porém, ganhou mais importância, uma vez que o ambiente, anteriormente fechado e segmentado por áreas, agora fica unificado, sem barreiras ou divisórias, facilitando a circulação de ar e dando um estímulo no retorno da equipe ao escritório.

A reforma levou três meses para ser concluída e irá, com o aumento do espaço, gerar mais vagas de trabalho. Segundo a empresa, há uma expectativa do aumento de pessoal em 20%, gradualmente. “Devido à pandemia do coronavírus, o ambiente corporativo como um todo sofreu inúmeras mudanças, principalmente na estrutura de trabalho. A Takasago Brasil, com a finalidade de proporcionar um espaço criativo, moderno, aconchegante e, acima de tudo, que priorize a saúde dos colaboradores, transformou o prédio, antes segmentado por área, usando a concepção de ‘Open Space’”, explica Anacelia Contador, líder da divisão de Fragrâncias da Takasago Brasil/Mercosul.

Open Space se tornou tendência nos últimos anos

O conceito de “Open Space” no mundo corporativo não é novo. Há algum tempo tem se falado em “quebrar barreiras” e “conectar os funcionários”, fazendo-os trocar experiências, terem voz mais ativa e participativa e optarem pelo contato face a face, a fim de agilizar os processos de tomadas de decisão e resolução de problemas.

Um estudo da empresa Steelcase dos Estados Unidos, que mede a produtividade em ambientes corporativos, mostra que as empresas que aderem ao modelo costumam evoluir de 8 a 12%, fora a redução de gaps de processos, ajudando no gerenciamento e resolução de crises, o que facilita o cumprimento de metas e desenvolvimento estratégico.

“Até o início dos anos 2000, os escritórios eram fechados, como se fossem uma espécie de casulo, em que os colaboradores trabalhavam de maneira mais individual, com a garantia de mais privacidade e uma acústica melhor. O Open Space é uma evolução deste conceito. Com ele, há uma exclusão dos biombos e divisórias e, consequentemente, um ganho de espaço. Além disso, possibilita um maior compartilhamento de espaço, o que significa mais sinergia, maior interação entre os funcionários e mais economia para os empregadores”, explica a arquiteta e diretora de operações da AKMX, Érica Prata.

A Takasago é uma das cinco maiores empresas de aromas e fragrâncias do mundo.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*