sábado , 17 abril 2021
Capa » Home » Mitos e verdade sobre os cosméticos veganos
Mitos e verdade sobre os cosméticos veganos
Foto criada por freepik - br.freepik.com

Mitos e verdade sobre os cosméticos veganos

Os produtos veganos estão ganhando cada vez mais espaço no mercado

Cada vez aumenta mais o interesse e identificação dos consumidores por marcas que se unem a uma causa e comprometidas com temas que vão além do lucro. Apesar de serem regulamentados pela ANVISA, os cosméticos convencionais não têm certificação ambiental. Em sua composição podemos encontrar parabenos, sintéticos e petrolatos, que são comuns em formulações cosméticas e prejudiciais ao nosso organismo, além de ingredientes de origem animal, fora que a grande maioria deles é testado nesses. Com isso, cada vez mais os produtos veganos estão ganhando espaço no mercado. Para te ajudar a entender melhor sobre a beleza sustentável, Jamar Tejada, farmacêutico naturopata, e fundador da Che Figo, marca de produtos naturais, veganos e sustentáveis, separou os mitos e as verdades sobre os cosméticos veganos.

VERDADE: O cosmético vegano não utiliza nenhum ingrediente de origem animal

Os cosméticos são considerados veganos quando sua formulação não contém nenhuma matéria prima de origem animal. Por exemplo, cera de abelha, mel, lanolina. Por possuírem esta filosofia são cruelty-free, ou seja, também não são testados em animais além de não conter ingredientes de origem animal.

MITO: todo cosmético vegano é natural

Um cosmético é considerado vegano quando não contém nenhum ingrediente de origem animal, mas pode conter ingredientes sintéticos como os parabenos, sulfatos entre outros.

VERDADE: Existem bons cosméticos veganos nacionais

Atualmente, existem marcas certificadas e brasileiras, disponíveis no mercado e que estão começando a ganhar destaque no país Além disso, as grandes empresas do mercado de cosméticos estão despertando para o veganismo e começaram a lançar suas primeiras linhas totalmente livres de ingredientes de origem animal. As marcas oferecem produtos tanto para as mulheres, como maquiagens e produtos para a pele, quanto para os homens, com shampoo, balm e creme modelador para o cabelo.

MITO: os cosméticos veganos costumam ser mais caros

O cosmético não é mais caro por ser vegano, ele é mais caro por ter uma qualidade superior. O que aumenta o valor do produto é sua composição diferenciada, além do modo de produção ser sustentável, que o coloca em um nível distinto dos que são produzidos em larga escala. Então, os cosméticos de boa qualidade terão o mesmo preço que o cosmético vegano.

VERDADE: É possível encontrar produtos que são veganos, naturais e sustentáveis

Estão surgindo cada vez mais opções que são veganas e ainda incluem insumos naturais e práticas sustentáveis para além da fórmula. O consumidor está cada vez mais consciente em relação ao meio ambiente e preocupado em produzir menos lixo. Com isso, as marcas estão investindo em produtos veganos e naturais que não possuem aditivos químicos e sintéticos, ou seja, não possui nada desenvolvido em laboratório de forma artificial, como os petrolatos, parabenos, propileno, amônia, ingredientes geneticamente modificados, alguns corantes e fragrâncias, e também geram menos lixo e impacto ao meio ambiente em sua produção.

Fonte: Bonde

Cadastre-se para receber as matérias também via WhatsApp

Portais de Notícias 2A+

Conteúdos exclusivos, matérias, entrevistas, artigos, eventos e muito mais todo dia, a qualquer momento, para fazer de você o seguidor melhor informado.

Jornalismo feito por Jornalistas.

Integramos os elos entre a indústria, os fornecedores, o varejo e o consumidor. A Qualidade que seleciona seguidores de Qualidade.

Os fornecedores que prestigiamos são os nossos anunciantes.

Faça network com o mercado, não disperse tempo e dinheiro, anuncie conosco. Quem tem poder de decisão está nos Portais 2A+. 

The best way to access the Brazilian life sciences industry market.

 

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*