domingo , 15 setembro 2019
Capa » Automação » Digitalização da indústria cosmética é eminente
Digitalização da indústria cosmética é eminente
Imagem: Talk Science

Digitalização da indústria cosmética é eminente

Segundo a Porsche Consulting, empresas devem se preparar para digitalização da indústria cosmética para aumentar a receita e trazer inovação.

Nos últimos anos, a indústria de higiene e beleza brasileira obteve mais crescimento do que a economia do país. Em 2017, o PIB brasileiro cresceu apenas 1%, enquanto que o setor registrou uma alta de 3,2% em relação ao ano anterior. Em 2018, o aumento foi próximo dos 3% e as expectativas para 2019 são ainda mais positivas, com um crescimento previsto de 4,1%. Como um dos principais mercados da economia nacional, as empresas passam por um momento de transição em seus processos, impulsionadas pela digitalização da indústria cosmética e pela indústria4.0.

Aproveite e veja as tendências apontadas pela Euromonitor para 2019 e como elas afetam o mercado cosmético.

O futuro é agora!

Muitas indústrias já vêm passando por transformações digitais e a cosmética não deve ficar de fora, segundo Rüdiger Leutz, consultor da Porsche Consulting.

“Tudo que pode ser digital, vai virar digital, isso é uma coisa que toda empresa precisa se preparar e pensar um pouco mais fora da caixa. Não se deve pensar apenas no produto e sim quais são os serviços digitais adicionais que se pode oferecer ao cliente, para que ele aumente a receita e traga de forma mais rápida inovações aos seus consumidores”, afirma sobre a digitalização da indústria cosmética.

Benefícios da digitalização

As transformações digitais podem trazer diversos benefícios, como maior controle de perdas, logística mais inteligente, automação de processos, aumentando assim a produtividade, e a inserção de inteligência artificial que, aliada aos insights humanos, podem trabalhar juntas no caminho de produtos ainda mais tecnológicos e competitivos.

“É importante mencionar que essa transformação digital é fundamental para as empresas. Não é uma opção e sim uma necessidade. As grandes empresas precisam se preparar e implementar algumas formas para passar por isso mantendo sua competitividade. Colaborar com startups também é uma saída, já que elas contribuem com incríveis inovações, tanto para as indústrias, quanto para os consumidores”, conclui Leutz.

Veja abaixo o vídeo completo! Este e outros debates relevantes da indústria cosmética serão apresentados no encontro do Talk SCIENCE, que acontece de 21 a 23 de maio de 2019, no São Paulo Expo. Você é um profissional do setor e gostaria de se atualizar sobre as novidades do mercado brasileiro e internacional? InscrecInscreva-se na FCE Cosmetique.

Fonte: Talk Science

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*